Manifesto Netflix: o documento que pode mudar o formato das empresas

Como um documento que tem mais de 11 milhões de visualizações no slideshare pode mudar o formato das empresas

Antes de começar a falar do conteúdo desse manifesto, vale destacar o tom visionário que ele tem (publicado em 01 de agosto de 2009) e que antevê muitas coisas que até hoje não vemos em multinacionais/marcas globais estruturadas, mas ainda engessadas.

Outro ponto que vale destaque é o que o “número 2 do Facebook”, Sheryl Sandberg disse: “Provavelmente este é o documento mais importante que já saiu do Vale do Silício.”

Do que se trata o manifesto Netflix:

É um documento meio código de conduta meio manual de cultura organizacional, que traz os valores da empresa e a forma como ela enxerga que seus colaboradores precisam se comportar. Esse manifesto possui 124 telas, mas trouxe aqui os tópicos que mais me chamaram atenção pela ousadia e originalidade:

> Criatividade é o mais importante: no trabalho processual boas ideias são 2x melhores que a média. Na indústria da criatividade as melhores são até 10x mais;

> Priorize descobertas ao invés de segurança para os funcionários:empresas de internet geralmente não têm órgãos trabalhistas com leis bem definidas para seus colaboradores (e mesmo assim sempre figuram entre as melhores para se trabalhar) por isso, mostre pra ele que ele pode realizar grandes descobertas;

> Decisões são tomadas em consenso coletivo: o manifesto prega que geralmente erros ou mal entendidos são problemas de comunicação. Pronto, problema resolvido;

> Férias ilimitadas: você decide quando volta a trabalhar. E esse empoderamento passado para o colaborador trouxe autonomia e melhores resultados para a empresa. O Netflix orgulhosamente também substituiu todo o aparato burocrático relacionado a custos de viagens com algumas palavras “Haja com as melhores intenções aos interesses do Netflix.”

>”Somos um time, e não uma família”: a ideia é ser um time desportivo profissional e não um monte de crianças na recreação.

Entendeu por que o manifesto pode mudar a forma como as empresas são construídas hoje? A contracultura de empresa engessada, que prioriza o invariável e o que rentabiliza deve ser mexido levemente pra trazer ainda mais rentabilidade (isso quando se pode mexer), enquanto que o Netflix prioriza a incerteza, o poder da criatividade e da chance de correção no meio do caminho, e principalmente prioriza a confiança no colaborador, no valor percebido por ele de trabalhar numa empresa que faz a diferença na sociedade e que o propósito é consoante com o dele. Ainda, valoriza o espaço concedido para sua vida pessoal, apesar do trabalho intenso.

Claro que pensar que esse modelo de liberdade aplicado para todas as empresas é utopia – e até errado – já que para uma empresa que precisa da criatividade o manifesto é mesmo ideal. Claro que o gesso e o balizamento são essenciais em determinados ramos de atividade mas,  até empresas assim podem aprender um pouco com o manifesto.

Você pode conferir o manifesto na íntegra aqui no slideshare.

E aí, o que achou? Se sim, acho que você vai gostar desse: Geração Flux: a geração do caos e da instabilidade.

Você vai gostar desses posts